Um espetáculo inédito. Nunca nada parecido foi exibido no Brasil. O show Start me Up promete contar os quase 55 anos de trajetória da maior banda do mundo em duas horas, levando o público a viajar no tempo. O guitarrista Marcelo Ceglie, que faz o papel de Keith Richards na obra dirigida por Ricardo Junior, diz que os fãs dos Stones irão ficar impressionados com a dimensão do show, que terá estreia no dia 12 de fevereiro, no Teatro UMC, em São Paulo, já havendo ingressos à venda. Start me Up – A Trajetória da Maior Banda de Todos os Tempos tem apoio de Stones Planet Brazil, que fez o lançamento oficial do espetáculo, no dia 18 de dezembro.

“Quem assistir ao show vai ver toda a carreira dos Stones diante de si. O jeito que eu vou me apresentar no começo e a forma como irei terminar, é maneira muito legal de contar a carreira do Keith, por exemplo. Para quem é fã, é uma coisa imperdível e se eu iria ver, com certeza. Começamos contando desde os tempos do blues até os dias de hoje”, revela Ceglie, sem entrar em maiores detalhes para não entregar a rapadura.

Marcelo Ceglie tocando com a Rolling Stones Cover Brasil

Start me Up foi concebido para teatros. Como a estrutura é grande – tem telões, cenário e troca intensa de figurino – seria complicado realizar o show em palcos menores. Por isso, Ceglie está animado com o novo projeto, que é bem diferente da Rolling Stones Cover Brasil, de São Paulo, onde ele também representa o “pirata das 5 cordas”.

“A comparação entre os dois trabalhos é bem interessante. Porque na minha banda a gente tem uma outra pegada de som e palco. A gente puxa muito para o ao vivo atual dos Stones. No Start me Up é completamente diferente, porque a gente vai fase por fase, tocando como era na época. O Start me Up é um show que tem de ser feito em teatro. Vai ser muito difícil levá-lo para bares, pois o show é muito grande. Com a Rolling Stones Cover Brasil é outra parada. Os pequenos bares é onde a galera levanta, dança. Acho que essa é uma diferença bem grande. De similar entre os projetos, apenas as nossas presenças, minha e do Fernando Mello, porque são lances muito distintos”, comenta Ceglie, que fez plantão no hotel dos Stones no ano passado em São Paulo para tentar encontrar os ídolos.

Ceglie com Bernard Fowler em São Paulo em 2016

O difícil nesta altura do campeonato é segurar a ansiedade. Ceglie não vê a hora de pisar no palco e começar a fazer todos os licks e riffs de Keith.  O músico acredita, inclusive, que os seus dois projetos podem acabar se completando e um puxar o outro.

“Estou tocando com muita gente boa, que estou conhecendo agora e isso certamente vai me abrir muitas portas. Estou aprendendo muito, sempre quis tocar em teatro. E com certeza isso também vai ajudar a Rolling Stones Cover Brasil porque eu e o Fernando estamos no Start me Up e muita gente vai linkar os projetos. Sempre quis as duas coisas acontecendo ao mesmo tempo. É onde sempre quis chegar e prestar esse tributo aos Stones, que eu gosto muito, todos sabem disso, é minha banda de cabeceira, e acho que vamos abrir muitas portas para mim e para a minha banda, uma coisa vai puxar a outra”, conta Ceglie, que as 27 anos já rodou bastante tocando Stones.

E para quem pensa que apenas os fãs de São Paulo poderão ver o show, ai vai aviso de Ceglie: “A nossa intenção é fazer o espetáculo viajar o Brasil todo e talvez até para o exterior. É show pioneiro e já estamos tendo retorno muito grande”, afirma o músico, que é uma das figuras centrais do show.

Stones Planet Brazil vai estar acompanhando todos os detalhes de Start me Up e esperamos que todos curtam muito  espetáculo.

 

 

Comentários

comentários