O endereço, em Londres, é um dos mais lendários dos 56 anos de história dos Rolling Stones. Não existe um único fã da banda, que não imagine como ele era por dentro. A tal ponto que em Exhibitionism há uma reprodução do antigo apartamento de Chelsea, onde Mick Jagger, Keith Richards e Brian Jones viveram no começo dos anos 60 em condições miseráveis. Stones Planet Brazil mata a curiosidade dos fãs e mostra como o imóvel está hoje em dia, por dentro e por fora.

Fotos: André Ribeiro/Stones Planet Brazil

Há jornadas que são emblemáticas. Cruzar o oceano, chegar em Edith Grove, tirar uma foto da porta do prédio, virar as costas e ir embora era impensável. Era necessário ir mais longe do que isso. Graças a um trabalho incrível do amigo Cesar Bersais, do Fan Club Patagônico dos Rolling Stones, obtivemos êxito na jornada.

Por dentro da história

Passava um pouco das 12h quando as portas de 102 Edith Grove se abriram para nós. Cruzamos a entrada e de cara vimos a sala onde Brian Jones praticamente ensinou Keith Richards a tocar guitarra, onde o próprio Brian ensaiava harmônica, e onde eles deram início aos Rolling Stones.

Úmido, certamente o apartamento era bem frio no inverno. Nota-se que há bastante umidade. Na época, eles não tinham aquecedores e quase congelavam. O imóvel tem apenas um quarto e todos dormiam amontados, inclusive para amenizar o frio.

À direita da porta de entrada está a cozinha. Obviamente ela está em condições muito melhores do que as de 1963, mas você sente ao entrar ali a atmosfera do lugar. Pode ser coisa de fã, mas dá para sentir a vibração no ar e imaginar a cozinha imunda e cheia de louças para lavar. Mesmo que a situação de hoje seja diferente, você viaja no tempo e a sua imaginação vai longe.

O quarto único fica mais à direita da cozinha. Não é tão pequeno, mas se imaginarmos que era dividido por quatro pessoas (um amigo de Brian também viveu lá), realmente era apertado.

A visita durou não mais do que 5 minutos, mas valeu como mais um feito dos meus 37 anos como fanático pelos Rolling Stones.

Curiosidades

Ao redor de Edith Grove há várias curiosidades. A “Chelsea drugstore” cantada em You Can´t Always Get What You Want virou um McDonald´s e fica a poucas quadras do apartamento. Da mesma  forma, o lugar onde Bill Wyman ensaiou pela primeira vez com os Stones. Hoje há um restaurante no lugar.

Perto dali também estão lugares onde várias fotos famosas dos Stones em seus anos iniciais foram tiradas. Algumas delas à margem do Tâmisa.

Caminhando um pouco, você chega a 48 Cheyne Walk, casa onde Keith viveu no fim dos anos 1960. Logo mais adiante, está a 3 Cheyne Walk, onde Mick morou. Elas ficam a poucos metros de distância uma da outra. Ambas são bem grandes e estão habitadas.

Caminhando, tendo disposição para bater pernas, você encontra lugares incríveis em Londres. Fazendo uma pesquisa prévia para ter ideia dos endereços, um fanático pelos Stones faz a festa na cidade.

Olympic Studios

Nem todas são centrais. Edith Grove, por exemplo, fica perto do estádio do Chelsea. E algumas são bem afastadas, como é o caso do Olympic Studios, que fica em Barnes. Você tem de pegar um trem até lá, mas a viagem não é tão longa.

O lugar onde os Stones fizeram várias gravações, sendo a mais famosa delas Sympathy for the Devil, que ficou registrada no filme de Jean-Luc Godard, virou um cinema. Ao lado, abriu um restaurante. Então, resta quase nada do antigo estúdio, embora ainda seja possível ler o nome da fachada do prédio: “Olympic Sound Studio”. No restaurante há fotos de vários artistas que gravaram lá, inclusive dos Stones.

É uma pena que o espaço não tenha sido mais preservado, mas ao menos o prédio não foi demolido.

Dia de show

Amanhã é dia de show em Southampton, quando vou chegar ao meu 23º concerto dos Rolling Stones. Eu não sei que condições vou ter lá e se será possível postar algo. A volta para Londres ocorrerá apenas na manhã do seguinte (30/05). Mas assim que eu puder, eu mando relato do show. Fiquem ligados!

 

Comentários

comentários