Quando os Stones anunciaram a presença de Brasil, Argentina e Chile entre os lugares que receberiam concertos da Voodoo Louge Tour, que correria o mundo por dois anos, foi uma comoção entre os fãs sul-americanos. Era praticamente impossível imaginar que depois de 33 anos de espera a maior banda do mundo finalmente tocaria por aqui. A notícia foi recebida com sentimentos que ficavam entre a euforia e a incredulidade.
De qualquer maneira, era uma informação oficial. Os Rolling Stones logo anunciaram shows em São Paulo, no Estádio do Morumbi, nos dias 27 e 28 de janeiro, onde estariam 150 mil fãs somadas as duas noites. Logo depois, a banda iria para o Rio de Janeiro, onde faria shows no Maracanã, nos dias 02 e 04 de fevereiro. Tudo beleza.
De repente, no dia 19 de janeiro, oito dias antes da primeira apresentação, o Morumbi foi interditado por falta de segurança. Pânico. Os promotores divulgaram a nota abaixo, levando todos os fãs que já tinham ingressos comprados aos desespero.A seguir, o jornal Zero Hora, de Porto Alegre, trazia a notícia de que os shows de São Paulo poderiam ser cancelados, mas indicava a possibilidade de transferência para o Pacaembu, onde não haveria espaço para os 150 mil fãs que compraram bilhetes. Seria preciso um show extra ou outra alternativa.Nesta altura do campeonato, o desespero era completo. Até que um dia depois veio a confirmação dos shows no Pacaembu, com um espetáculo extra no dia 30. Ufa!Parecia que tudo estava resolvido, mas quem tinha ingressos de arquibancada (felizmente tínhamos gramado) teve de trocar seus bilhetes, o que gerou uma enorme confusão, filas e preocupação Mas o principal era que os Stones realmente tocariam no em São Paulo. Bem, o sofrimento não acabaria tão facilmente. Leia mais em novos posts.

Comentários

comentários