Keith começando o show com Start me Up em Montevidéu. Fotos: André Ribeiro/Stones Planet Brazil



Por André Ribeiro
As coisas que mais os fãs nos perguntam no momento são o horário que devem chegar ao estádio e onde ficar para ter boa visão do show. Depois de termos assistido a três apresentações em Santiago, La Plata e Montevidéu, em que ficamos em três posições diferentes, vamos dar umas dicas sobre isso e também fazer alguns comentários técnicos. Assim, acreditamos que vocês vão estar bem preparados para os concertos do Brasil.
A primeira coisa é? qual a melhor hora de chegar ao estádio? Isso depende de cada um. Se você quiser ficar bem perto do palco, chegue cedo, talvez começo da tarde. Não precisa loucura, dormir em fila, nada disso. Se você chegar no começo da tarde vai ter bom lugar. 
Mas eu quero ficar colado à grade! Bom, ai você talvez precise chegar um pouco mais cedo, mas lembre-se que há ingressos vip, que vão colocar seus compradores dentro do estádio antes de você, então, os melhores lugares na grade, os mais centrais, você não terá como pegar. Você pode conseguir um lugar na grade um pouco mais lateral, que vale muito a pena. Mas note: o palco está bem alto. Ficando na grande, você perde o fundo do palco e vai ver apenas a cabeça dos Stones em muitos momentos. A melhor visão é de quem está umas quatro ou cinco filas atrás. Aí você tem plena visão do palco. Se você estiver grudado à grade no entorno da passarela do palco B, terá baita visão. Mas claro, estando na grade não tem ninguém à sua frente e quando os caras ficam na ponta do palco, eles ficam a coisa de 10 metros de você.

Assim você vê estando na grade na pista premium.

Quem ficar na pista comum, quase com certeza vai ver o show pelo telão. A não ser que você seja bem alto ou que fique bem perto da grande que separa a pista premium da pista comum. Ai você terá boa visão do palco B. Fora isso, não se iluda, verá o show pelo telão. O que não é tão ruim. Você tem visão geral do palco e os telões são imensos, você curte o show na boa, ainda mais as gurias, que gostam de dançar, e terão espaço para isso mais atrás, o que bem na frente é impossível.
Estando na arquibancada, você verá a banda como uns bonequinhos. Mas também terá plena visão do palco. Tente escapar das torres de som, para não ter a visão tapada por elas. Em algumas arquibancadas laterais elas podem atrapalhar. Vale o mesmo para quem estiver na pista comum. Procure estar ou bem centralizado na pista (e vale o mesmo para a arquibancada) ou mais lateralizado, antes das torres (vale para a arquibancada).

Há dezenas de barracas de merchan pelo estádio

Quero comprar mechandising, como faço? Há dezenas de barras com produtos oficiais dentro e fora do estádio. Leve dinheiro, porque em nenhum dos três shows que fui até agora, aceitaram cartão. Os preços você só vai saber na hora. Há camisetas de cada show, de cada cidade, de cada pais, moletons, posters, bonés, etc. Fazendo a conversão dos valores aplicados em Argentina, Chile e Uruguai, uma camiseta deve custar entre 100 e 120 reais.
Curiosidades técnicas: Se você estiver bem perto do palco, vai poder reparar em várias questões técnicas curiosas, bem mais interessantes do que as bandas de abertura.
Uma delas é que os Stones sobem ao palco uns 2 minutos antes do show começar. Quando começa a rodar o video no telão, logo eles sobem. Keith é usualmente o primeiro. Logo vêm Charlie e Ronnie, que ficam conversando animadamente entre eles e com os roadies. atrás dos amplis.
O chefe dos roadies dos Stones, Pierri de Beauport está pelo palco sempre, ele comanda tudo. E repare que você saberá com certeza as duas primeiras canções do show se for atento. Pierre deixa preparadas as duas primeiras guitarras a serem usadas por Keith. Usualmente tem sido uma das Fender Telecaster em Open G para Start me Up ou outra Fender Telecaster com capo em Si para Jumping Jack Flash. Logo, basta ver se tem capo na quarta casa da guitarra, que você saberá se o show começa com uma ou outra. Start me Up é mais frequente e Keith a toca sem capo. 

Visão de quem vê o show da pista comum.

Pierre também deixa uma Gibson 355 preta pronta, que será para It´s Only Rock and Roll, a segunda canção da noite. Se for essa a guitarra, dificilmente você errará.
Estando na grade, você também verá gente importante passando, como filhos e netos dos Stones. Em Montevidéu vimos a Charlotte Watts. É comum eles passarem pelo espaço entre a grande e o palco. Já vimos até Bill Clinton passar por ai, em Lisboa-2014. Ainda há a chance de você pegar uma baqueta ou palheta jogando do palco para o público. 
Os shows hoje em dia têm bem menos pirotecnia, mas é curioso ver os canhões de luz e toda parafernalha bem de perto. E prepara-se para suar. É muito quente por causa das luzes e fogos.
Enfim, em qualquer lugar que você vá no estádio, vai ter algum ponto de vista interessante. O importante é estar lá dentro e aproveitar a melhor música do mundo. Você vai se divertir, como nunca!

Iluminação do show é pesada. Tem luzes para burro.

Pierre de Beauport conferindo o palco antes do show.

Detalhes da iluminação sobre o telão lateral.

Visão de quem está grudado à grade, na pista premium.

Canhões de luz que ficam entre a pista e o palco.

Comentários

comentários