da Efe, em Londres

Jerry Hall, ex-mulher do cantor Mick Jagger, pode ter que devolver o dinheiro que recebeu como antecipação de sua autobiografia, porque o livro não contém detalhes “explosivos” sobre seu relacionamento com o líder do Rolling Stones.
Segundo o jornal “The Sunday Times”, a modelo de 52 anos recebeu 500 mil libras (US$ 754 mil) da editora Harper Collins, a metade do contrato estipulado para publicar o livro, qualificado, a princípio, como “explosivo”.
Hall tinha dito que contaria a verdade sobre seus 24 anos de convivência com o músico britânico, de 65 anos.
Aparentemente, a editora considerou que a primeira minuta do livro não era o suficientemente atrativo, apesar de a modelo ter passado dois anos escrevendo suas memórias, indica o jornal.
Esperava-se que Hall contasse o lado bom e o ruim de seu relacionamento com Jagger, inclusive o “affair” deste com Carla Bruni, atual mulher do presidente francês, Nicolas Sarkozy.
Jerry Hall, que tem quatro filhos com o cantor britânico, recebeu 10 milhões de libras (US$ 15 milhões) da fortuna de Jagger, estimada em 200 milhões de libras (US$ 300 milhões), quando se separaram, em 1999.

A opinião de Stones Planet Brazil

Se o objetivo da editora era que Jerry mentisse, inventasse lorotas para causar furor e vender livros, a ex-senhora Mick Jagger comprovou que ela é e sempre foi uma pessoa digna. Jerry pode estar nos livrando de mais uma publicação de besteiras vazias e fofocas.

Comentários

comentários