Por Alex Carvalho. O lançamento Sticky Fingers Live (Eagle Rock/Universal Music) registra um momento histórico para os fãs dos Rolling Stones.

Zip Code Tour 2015

Em 2015 os Stones novamente estavam na estrada para a Zip Code Tour, que passaria por diversas cidades dos Estados Unidos (além de Quebec City, no Canadá). O show que eu assistiria era o primeiro da turnê, 24 de maio, em San Diego, Califórnia. Ao menos era o que se pensava até então.

Porém, para a felicidade de todos, acabou se confirmando o boato (recorrente em dias que antecedem o início de quase qualquer tour dos Stones) de um pequeno concerto, privado, para alguns convidados. Geralmente a banda faz isso como uma espécie de último ensaio antes de cair na estrada.

No dia 20 de maio de 2015 os Stones realizaram esse concerto no Fonda Theater, em Los Angeles. Na plateia, não mais que 700 pessoas, nenhuma portando qualquer objeto eletrônico (regras do evento). Causa muita estranheza nos dias de hoje a ausência de vários celulares registrando o show, a impressão é de ter voltado no tempo. E é esse show que nos é mostrado no mais recente lançamento da banda.

Alex Carvalho (E) com Cristiano Radtke no Fonda Theatre

Felizardo e sem palavras

Lembro de chegar em Los Angeles no dia seguinte ao show e ir ao encontro do amigo Cristiano Radtke, que estava entre os felizardos que o assistiram. Encontrei o cara ainda em êxtase, com dificuldades para expressar com palavras o que tinha visto e o que ainda estava sentindo.

Sobre o show, foi a primeira e única vez que os Stones tocaram todas as músicas do álbum Sticky Fingers (lançado em 1971) no mesmo concerto. Devo dizer que gosto do álbum, mas não o coloco sequer no meu top 3 da banda em estúdio, especialmente por considera-lo irregular.No entanto, o que se viu no palco do Fonda é quase indescritível, muito mais do que um “último ensaio” de tour, o que se registrou foi uma celebração à própria história da banda.

Show com “lados B”

Estou entre os fãs que gostam das músicas mais conhecidas, porém, também um pouco cansado de ouvi-las, de modo que fico torcendo muito para que a banda apresente algumas canções mais “Lado B” nos shows.

E, com extremo deleite, vemos músicas como Sway, I Got the Blues, Bitch, You Gotta Move, Dead Flowers serem executadas no Fonda. Aliás, eles abrem o show com Start me Up e depois passam a limpo todo o Sticky Fingers (em ordem aleatória), fechando a apresentação com Jumpin’ Jack Flash e Rock me Baby. Nos extras, ainda temos All Down The Line, When The Whip Comes Down e I Can’t Turn You Loose.

O fato é que a banda funciona muito bem também em lugares menores, como já pudemos observar no magnífico Stripped. Aqui as músicas são executadas com muito capricho e, embora não sejam canções usualmente presentes nos concertos (o que exige maior concentração dos caras no palco), o resultado final é excelente.

Você pode encomendar todas as versões do Sitcky Fingers Live pelo e-mail andreribra@hotmail.com

Mais sobre o lançamento Sticky Fingers Live

Entre as canções, alguns depoimentos dos quatro Stones, falando sobre o disco em si, os momentos que passavam naquela época. Comentam que várias das canções falavam sobre drogas, sobre o processo de escolha das faixas e também lembram com carinho e emoção de Bobby Keys, falecido poucos meses antes, em dezembro de 2014.

Há que se dizer que assisti o concerto na versão Blu-ray e a qualidade de som e imagem é simplesmente espetacular. Palmas também para a direção sempre competente e segura de Paul Dugdale (o mesmo dos recentes Olé Olé Olé e Havana Moon).

Enfim, trata-se de um registro histórico e item obrigatório na prateleira de qualquer fã da maior banda de todos os tempos. Só nos resta agradecer pela oportunidade de seguir vendo esses senhores em plena atividade (enquanto escrevo isso, a No Filter Tour segue firme no velho continente).


Faça a encomenda do seu através do e-mail andreribra@hotmail.com. Todos importados, novos e lacrados.

Comentários

comentários