Lá vem mais uma tradução para o português, agora a biografia Mick Jagger, de Philip Norman. Lançada pela Companhia das Letras, a obra traz 608 páginas. 

Leia release de divulgação.
Nesta biografia do líder dos Rolling Stones, Philip Norman refaz os passos da consagração de Mick Jagger e pretende mostrar como ele se tornou um showman sedutor, o protótipo do pop star genial, escandaloso e milionário. A partir de uma pesquisa detalhada e entrevistas, Norman reconstitui a infância de Mick (nascido Mike), o início da carreira do grupo (quando os Stones rivalizavam com os Beatles) e acompanha cronologicamente a evolução da banda, revelando bastidores da criação de clássicos como ‘Satisfaction’, ‘Jumpin’ Jack Flash’, ‘Brown sugar’ e ‘Start me up’. 
O livro repassa os episódios considerados turbulentos da carreira do astro e seu grupo, como a morte de Brian Jones, a relação de amor e ódio com Keith Richards, a prisão e o processo por porte de drogas em 1967 e o trágico concerto de Altamont (Califórnia), em 1969, quando um membro da plateia foi esfaqueado até a morte pelos Hell’s Angels, enquanto Mick Jagger cantava ‘Sympathy for the Devil’. Ganham destaque os relacionamentos conjugais e extraconjugais com mulheres famosas como Marianne Faithful, Bianca Jagger, Jerry Hall, Carla Bruni e Angelina Jolie. O autor também relata o envolvimento de Mick Jagger com Luciana Gimenez, em 1998 no Rio de Janeiro, quando ainda era casado com Jerry. Mick planejava vir ao Brasil com Angelina Jolie, mas a atriz cancelou a viagem. 
No Rio, durante a turnê Brigdes to Babylon, o cantor acabou se envolvendo com a modelo brasileira, com quem teve um filho, Lucas, nascido em 1999 e reconhecido depois de um processo legal movido por ela. Sir Mick Jagger, condecorado pela rainha da Inglaterra, é um respeitado avô de quase setenta anos. A biografia pretende restituir ao astro sua dimensão humana, retratando um personagem complexo, vulnerável e afetivo.

Comentários

comentários