Nelio Rodrigues em Copacabana 2006.
The Rolling Stones – 50 anos deSatisfaction
Nélio Rodrigues e Pedro de Freitas Branco

Há 50 anos, (I Can’t Get NoSatisfaction estourou nas rádios do Brasil e do mundo. Mais do que mera canção, representou um libelo da contracultura dos anos 60 e uma tradução da essência artística dos Rolling Stones. Porém, não foi nada fácil a trajetória desse grupo de jovens ingleses apaixonados pela música negra norte-americana que recebeu epíteto de “a maior banda de rock’n’roll do mundo”. O clichê “sexo, drogas e rock’n’roll” revela apenas uma visão superficial dos hoje setentões Mick Jagger, Keith Richards, Charlie Watts e Ronnie Wood. Do blues elétrico de Chicago aos batuques brasileiros, a saga dos Rolling Stones continua produzindo fagulhas. Uma banda que se recusa a morrer. Início: 23 de Outubro • Sextas-feiras, às 19h30 • 4 Encontros • R$ 400

PARA FAZER O CURSO CLIQUE AQUI

23 OUT EM BUSCA DA SATISFAÇÃO 
O impacto de (I Can’t Get No) Satisfaction no verão de 1965. A canção como expressão dos pensamentos e das aspirações de uma juventude insatisfeita com a sociedade vigente. As origens dos Rolling Stones. Londres e a paixão pelo rhythm and blues. A conquista da América e a Swinging London como epicentro da contracultura ocidental. LSD, psicodelismo, prisões e Their Satanic Majesties Request.
PEDRO DE FREITAS BRANCO
30 OUT A DESCOBERTA DO BRASIL 
Primeira visita de Mick Jagger ao Brasil, em 1968. Um estranho em Copacabana. Simpatia pelo demônio e pela Bahia – Sympathy for the Devil e o Banquete dos Mendigos. Rock’n’roll Circus e o regresso de Jagger ao Brasil, cruzando o Atlântico com Keith Richards. Iemanjá e macumba no Réveillon de Copacabana. Criação do clássico Honky Tonk Women no interior de São Paulo.
NÉLIO RODRIGUES
06 NOV EXÍLIO, DECADÊNCIA E RENASCIMENTO 
Da utopia hippie, de Monterey e Woodstock ao pesadelo em Altamont. A morte de Brian Jones e a ressaca de uma geração desiludida pelo confronto com o paradoxo da realidade: quanto mais se muda mais tudo permanece igual. You Can’t Always Get What You Want. Os Stones e o exílio na França. A glamourização da decadência (Exile On Main Street) e o progressivo renascimento da banda como marca registrada do rock.
PEDRO DE FREITAS BRANCO
13 NOV ROLLING STONES E BRASIL: OS LAÇOS SE ESTREITAM 
O guitarrista Mick Taylor se cura do vício em heroína no Rio de Janeiro com seu amigo Arnaldo Brandão. Gilberto Gil faz Carnaval com os Stones. Mick Jagger grava com músicos brasileiros, produz filme e inicia carreira solo no Rio. Charlie Watts e os primeiros shows de um stone no país. A conquista definitiva: festas, transas, jet set e a celebração nos palcos, do Pacaembu às areias de Copacabana. Os Rolling Stones e o rock brasileiro.
NÉLIO RODRIGUES


Nélio Rodrigues. Autor dos livros Os Rolling Stones no Brasil: Do descobrimento à conquista, Histórias perdidas do rock brasileiro Vol. 1 e Histórias Secretas do rock brasileiro, e de textos publicados em The Rolling Stones: discografia portuguesa a 45rpm e 1973 – O ano que reinventou a MPB, além de outros escritos para CDs e LPs de lançamentos brasileiros e do exterior. É também co-autor de Sexo, drogas e Rolling Stones.
Pedro de Freitas Branco. Jornalista, cantor, compositor e escritor português. Fundador, em Portugal, da banda Pedro e os Apóstolos. No Brasil criou o grupo carioca White e Like a Rolling Stone, banda cover dos Rolling Stones. Autor dos romances A vida em stereo e O segredo dos Beatles; e de The Rolling Stones – Discografia Portuguesa a 45 RPM. Colaborador de diversas publicações musicais e de programas de TV (RTP – Rádio Televisão Portuguesa), tendo entrevistado artistas como Lou Reed, Maria Bethânia, Lloyd Cole, Paul McCartney e Rita Lee.

Pedro White é músico e tem banda cover dos Stones

Comentários

comentários