O jornalista Thales de Menezes escreveu em um texto sobre a morte de Chuck Berry em que o periodista da Folha S. Paulo afirma que “Chuck foi o maior ídolo do rock and roll, porque ele foi o maior ídolo de Keith Richards, que é o rock and roll personificado”. A afirmação absolutamente repleta de razão justifica a comoção entre os fãs dos Rolling Stones, de rock e de música pela perda do senhor do duck walk. Chuck Berry foi o inventor de Keith Richards. Por consequência, isso já basta para nomeá-lo criador do rock and roll.

A influência de Chuck Berry na música de Keith sempre foi avassaladora. Purista do blues, Brian Jones não queria tocar as músicas do filho mais famoso de St. Louis. Brian queria seguir tocando apenas Elmore James, Jimmy Reed e os grandes nomes do blues. Muito mais tarde, Mick Jagger declarou que não queria passar a vida toda tocando músicas iguais às de Chuck Berry e que precisava fazer outras coisas. Keith, não. Tudo que ele sempre quis foi ser igual a Chuck Berry.

Keith Richards sempre admitiu copiar Chuck Berry acorde por acorde até conseguir criar um estilo próprio de tocar, sem nunca deixar que sua guitarra parasse de soar como a do herói. Foi Chuck Berry, ao lado de Muddy Waters, quem juntou os glimmer twiwns em 1961. Foi Keith Richards quem dirigiu o show do filme Hail Hail Rock and Roll e também foi o velho pirata quem introduziu Chuck Berry no Rock and Roll Hall of Fame. Poderíamos ficar falando dias sobre tudo que une Berry a Keith e aos Stones, porque eles quase que são uma coisa única. Ao lado de Muddy Waters, Chuck Berry praticamente criou os Rolling Stones.

Foto: Paul Natkin/WireImage.com

Mas Chuck Berry influenciou todo mundo que toque guitarra. Exceto ele, tínhamos o chamado rock and roll dos anos 50, que soa muito parecido com o rockabilly – ou se preferirem para evitar polêmica, rock and roll de piano, ou seja lá o nome que quiserem dar. Foi Chuck Berry quem realmente trouxe a guitarra elétrica para o rock and roll e criou toda a base para que, além dos Stones, grupos como AC/DC, Led Zeppelin, The Who e muitos outros criassem seus estilos próprios e suas vitoriosas carreiras. Seria impossível imaginar qualquer um desses artistas se Chuck Berry não tivesse inventado o rock and roll de guitarra. Lennon disse que se o rock and roll tivesse outro nome, ele deveria se chamar Chuck Berry. De certa forma, ele sempre se chamou Chuck Berry.

Notas de pesar

Em nota oficial, os Stones lamentaram profundamente a morte de Chuck. “Os Rolling Stones estão profundamente entristecidos ao saber da morte de Chuck Berry. Ele foi um verdadeiro pioneiro do rock and roll e uma enorme influência sobre nós. Chuck não foi apenas um brilhante guitarrista, cantor e performer. Ele foi um mestre artesão como compositor. Suas canções vão viver para sempre”.

Keith Richards comentou: “uma das minhas grandes luzes se apagou”. Já Mick Jagger declarou: “Estou muito triste por ouvir sobre a passagem de Chuck Berry. Quero agradecer a ele por toda a música inspiradora que ele nos deu. Ele iluminou a nossa adolescência e soprou a vida em nossos sonhos de sermos músicos e artistas. As suas letras brilhavam acima dos outros. Chuck lançou uma estranha luz sobre o sonho americano. Chuck, você foi incrível, e sua música está gravada dentro de nós para sempre.”

Por fim, Ronnie Wood afirmou: “Estou muito triste pela morte de Chuck, que foi uma grande inspiração para mim. Ele foi um dos maiores. É o fim de uma era”.

De qualquer maneira, Chuck Berry é imortal. E sempre que alguém tocar guitarra, estará homenageando Chuck Berry, pois a música mundial nunca mais foi a mesma depois de canções como Carol, Little Queenie, Let it Rock, entre tantas outras.


Comentários

comentários