Photo Credit: Phil Farnsworth
Don Was é um músico e produtor que trabalhou com os Stones desde 1994. Seu primeiro trabalho com a banda foi como co-produtor de Voodoo Lounge, assumindo depois a produção dos discos  Bridges to Babylon e A Bigger Bang, além do single Doom and Gloom, de 2012. Don Was participou também dos relançamentos de Exile on Main St. e Some Girls, e em uma entrevista para o site Yahoo ele falou sobre seu trabalho com a banda.
Para Was, isso não foi difícil, pois eles são a maior banda do mundo. “Quando você os ouve tocar em um estúdio é incrível. Há uma química que acontece entre a banda, eu tive a sorte de tocar baixo com eles em algumas ocasiões e o nível de comunicação entre a banda é incrível. Eles são meio que uma banda de jazz, mas com um groove diferente”.  
Was também teve acesso aos arquivos da banda, o que resultou nas faixas bônus que acompanham as reedições de Exile on Main St. e Some Girls. 
“Eu os vi pela primeira vez em 1964, então por ser um fã da banda realmente foi bastante emocionante ter acesso a isso, apesar de ter sido um trabalho duro. As gravações originais tiveram de ser transferidas para outros arquivos, mas como não havia nenhuma marcação (das músicas), às vezes ocorriam surpresas. Você não sabia o que encontrar, e várias coisas surpreendentes acabaram vindo à tona”.
De acordo com ele, foi por sua sugestão que os Stones finalizaram algumas músicas que haviam sido compostas há décadas mas que nunca foram devidamente lançadas. “Eles se entusiasmaram com isso, e todos concordaram que devíamos preservar a integridade do que eles fizeram, mas também era interessante experimentar uma volta ao passado e terminar o que se começou há 40 anos. Ninguém havia feito isso, até onde eu sei, e o que tentamos foi apenas terminar o que não havia sido finalizado na época, em vez de refazer tudo desde o começo”.
Durante esse processo, em especial durante o trabalho no material de Some Girls, Was se impressionou com a memória de Mick Jagger: “havia canções que não tinham vocal, e Mick se lembrava exatamente de como a canção foi composta. Ele apenas não havia cantado (na época), mas lembrava da letra que a música tinha”.
Sobre o futuro dos Stones, Was acha que “eles jamais deixarão de ser os Rolling Stones, pois eles amam isso. Não é como se eles tivessem que trabalhar pra voltar a sê-lo, e acho que eles curtiram bastante esta última tour, o que é evidente se você os viu ao vivo. Não vejo motivo por que eles deveriam parar, mas você deve perguntar a eles sobre seus planos futuros”.
“I like to work with Don Was, he’s a great musician, like Jimmy Miller was”. Keith Richards, durante a época das gravações de Bridges to Babylon.

Comentários

comentários