Os Rolling Stones desenvolveram ao longo de sua carreira os espetáculos de rock and roll. Foram aperfeiçoando equipamentos de som, iluminação e criando palcos atraentes e aparatos capazes de distrair o público nem tão íntimo da banda, conquistando assim plateias maiores.
Dos anos iniciais em que tocavam em qualquer lugar, passando pela tour de 1969/1970, em que os primeiros passos do profissionalismo começaram a ser dados, os Stones foram encontrar no começo dos anos 70 a fórmula que até hoje é adotada por todos os conjuntos que subam num palco. Em 1972, foi criado um sistema de iluminação inovador, em que os holofotes ficavam atrás da banda, posionados para cima, onde havia espelhos que refletiam os raios de luz, iluminando todo palco. O sistema era muito caro e entendeu-se que Mick acabava escondido pelas luzes. Assim, a ideia foi abandonada. Mas o passo seguinte ficaria famoso.Em 1975, os Stones lançaram a Tour das Américas, com o palco em formato de flor de loto. Ele tinha quatro pétalas que se abriam no começo do show, transformando-se em pequenas passarelas por onde a banda andava, e Mick se dependurava. Também foi um palco 360ºC, que hoje está novamente sendo usado como uma grande novidade. Mick ainda voava sobre o público, dependurado em cabo de aço, outra coisa que virou comum em várias bandas. Embora Keith odiasse isso tudo, Mick e Charlie passaram a tomar mais cuidados com os shows até criarem os megaespetáculos de hoje em dia.Estamos postando aqui fotos da Tour das Américas, extraídas do livro Stafucker, de Nobby Clark. Mais uma vez não há como digitalizá-las, então, tiramos fotos das fotos.

Comentários

comentários