Os Rolling Stones encerraram a No Filter Tour com um show arrasador. Desde já há um fortíssimo sentimento de “quero mais” e as indicações de uma possível tour pelo Reino Unido em 2018 reforçam esta ideia. Os Stones não param e não têm razão alguma para fazê-lo. A banda está voando, tocando em altíssimo nível e deixou 120 mil pessoas boquiabertas em Paris (o público somado dos três shows na U Arena).  

Se Mick Jagger já estava endiabrado nas apresentações anteriores, nesta quarta-feira ele incorporou capeta de vez.  O maior frontman de todos os tempos correu por todos os cantos do palco, brincou com a plateia e com os companheiros de banda e mostrou estar muito à vontade e feliz por ainda estar na estrada. Aos 74 anos, ele continua insuperável.

Keith Richards e Ronnie Wood também são de um material diferente de todos os demais humanos. Eles estão tocando melhor do que nunca. Keith está concentradíssimo e relaxado ao mesmo tempo. O solo de Honky Tonk Women, por exemplo, foi típico dos melhores tempos.

Charlie Watts mantém a elegância e igualmente demonstra estar se divertindo, o que é vital para os Stones.

She’ so Cold foi  a grande surpresa da noite, com uma versão sensacional, extremamente energética. She´s a Rainbow foi eleita pelo público e também teve uma versão lindíssima.

Slipping Away foi mais uma vez emocionante. Keith está cantando com muita paixão e os seus solos foram tocantes. É difícil para um fã de Keith segurar as lágrimas.

Mais uma vez Street Fighting Man teve uma versão arrasadora, assim  como Midnight Rambler. Também cabe salientar que Sympathy for the Devil voltou a abrir o concerto.

DVD dos shows de Paris

Os Rolling Stones encerraram a No Filter Tour, mas especula-se que os dois últimos shows de Paris tenham sido gravados e que um DVD possa ser lançado. Além disso, em 2018 os Stones devem fazer nova tour, agora pelo Reino Unido. É impossível eles voltarem à América do Sul? Não é impossível.

Comentários

comentários