Por Rolando Rebelo (Riffbuk), exclusivo para Stones Planet Brazil
Londres, 9 de Março
Tarde de Inverno, um pouco fria, mas não o suficiente para afastar da porta do Ambassador Theatre, os fans dos Rolling Stones que se juntavam esperando pelo início do concerto ou por algum Stone ou celebridade que por ali passasse! Eram visíveis na mão desses fans discos em vinil, livros, e na outra mão uma caneta de tinta permanente à espera de um qualquer Stone para ser autografado.
Mal cheguei à porta do teatro, lá estava Matt Lee, o produtor executivo do álbum ao vivo de Ron Wood, ao qual me apresentei! É um fan de último grau, super bem disposto e amigo do amigo! Presentes também e com os quais também troquei palavras ao vivo, em lugar dos habituais comentários online, estavam também Bjornulf Vik, administrador do IORR, Paulawally, Mr Jimmy (estes dois velhos conhecidos meus de outros concertos) Green Lady, Manofwelathandtaste, Whithssoul, todo mundo do IORR, etc, etc….
Após as conversa de circunstância que rodeiam estes eventos e a especulação de quem viria ou não,(entenda-se Jagger e Richards). Eis que sai o primeiro Stone do restaurante The Club, um clube privado, localizado a 50 metros do Teatro Ambassador. É incrível a onda que se gerou entre os fans procurando um autógrafo (eu inclusive) e os paparazzi. Resultado: os seguranças levaram tudo à frente não dando espaço para ninguém fazer ou pedir nada! Seguiram-se Bill Wyman e Mick Taylor, este sem dúvida o mais acessível de todos os Stones, tanto que passou por nós a menos de um metro e apenas com um segurança!
Entramos por fim na sala para o primeiro concerto… e que sala! Pequena, mas sem dúvida perfeita para uma noite de música e ainda mais perfeita para os fans dos Stones devido à proximidade que iria ter com os músicos, que habitualmente se vêem em estádios de futebol. Aqui posso dizer que de onde eu estava sentado no primeiro concerto, na segunda fila, a bateria do Charlie se encontrava a uns 7/8, metros no maximo. Como pano de fundo iam passando fotos de Stu, desse grande fotógrafo Gered Mankowitz, com citações de Jagger, Richards, Wyman, etc etc. Se louvava o espírito e a importância de Stu no processo Stoniano.
Fazendo honrar a tradição Britânica da pontualidade, às 19 horas entra em palco Jools Holland, que faz a introdução do motivo daquele concerto. Apresenta também o mentor do projecto de homenagem a Stu, Ben Waters, que fora o substituito de Stu nos Rocket 88, apos o falecimento do Stu.
E a noite arrancou a todo o vapor. Começando por chamar Charlie Watts. A casa ia abaixo! Confesso que nunca o vira de tão perto, e por isso também nunca o vi sorrir tanto, visivelmente bem disposto e sorridente, Charlie sentou-se na bateria e fez o seu habitual rodopiar de baquetas da bateria!
Bill Wyman também foi chamado e ao fim de 21 anos, é que tenho de a hipótese de rever a secção rítmica mais perfeita do Mundo reunida! E que Som….. Bill ao lado de Charlie no lado e estilo habitual….O que é bom não se muda!!!
Foram tocados muitos temas de Boogie Woogie, sempre com convidados entrando e saindo, até que Ben Waters achava que não faltava um guitarrista, mas sim dois…. e eis que entra Ron Wood e MicK Taylor… e a casa ia novamente abaixo.
Visivelmente mais leve do que noutras épocas Mick Taylor iriam nao disputar os solos de guitarra mas sim complementa los! e deu para ver as fiferenças ue existem entre um e outro e no percurso que qualquer um deles teve no processo musical nos Stones.
Mick Taylor é sem duvida mais tecnicista, mais introvertido e bem mais reservado! Wood é mais Rock, cru e de longe o mais extrovertido em palco…. mas ambos se complementaram em palco. As honras do microfone estiveram a cargo de Mick Hutnall(ex-Simple Red), que esteve bem e do mesmo cantor que cantou no casamento de Stu, o veterano Hamish Maxwell, Shakin Stevens, além de Bill Wyman, que cantou You Never Can Tell (que Ron Wood brincou com o fato de que ele deveria ter acabado numa nota alta e não a descer de tom) e de Ron Wood que introduziu o seu Worried Life Blues dizendo que ia dar mais uma dor de cabeça ao Matt (o nosso anfitrião)!!
Acabado o primeiro concerto foram todos para a rua, fumar e beber algo. E foi outro espetáculo vê-los a sair e depois a entrar, sempre rodeados de seguranças e os fans e paparazzis a persegui-los (Deus me perdoe por pôr os dois no mesmo saco, mas os paparazzi….fdp mesmo!!)
O segundo show foi basicamente o mesmo que o primeiro com os mesmos convidados, e a esperança de ver Jagger ou Richards foi em vão. So faltavam mesmo eles dois, e Brian Jones, que acho teria mais hipóteses de aparecer morto do que os outros dois vivos!
De seguida ocorreram um dos momentos pessoais da noite, a entrada no After Party!
Após ter passado por várias camadas de segurança, eis que entro na sala e lá estavam eles…..Ron Wood sentado a falar com a sua namorada Ana, Mick Taylor, Charlie Watt e Bill Wyman…. se me dissessem que quando aos 13 anos descobri os Rolling Stones, estaria 30 anos mais tarde numa festa com quatro Rolling Stones, eu diria que és doido pá!!!
It´s only Boogie Woogie but I lIke it

Comentários

comentários