O dia em que Ricardo Junior, diretor do espetáculo Start me Up, encontrou com os Rolling Stones vai ficar marcado para sempre na sua memória. Além criador do show que estreia em 12 de fevereiro no Teatro UMC, em São Paulo, o cara é músico e toca no Ultraje a Rigor, que fez a apresentação de abertura do concerto dos Stones no dia 20 de fevereiro de 2016, no Maracanã, diante de 68 mil pessoas.

Show do Ultraje a Rigor, liderado por Roger Moreira (foto), antes dos Stones

A emoção de Junior foi tão grande, que ele quase nem lembra do show do Ultraje. O grande lance era poder  encontrar os Stones, o que só ocorreu depois da gig da turma de Roger Moreira. “Quando rolou o convite para gente abrir o show dos Stones nós ficamos sem acreditar. Depois fui saber que o Lucas Jagger é fã do Ultraje e que ele indicou a banda para o Mick. E acabaram nos chamando. Eu fiquei mais empolgado para conhecer os Stones do que com o nosso show. Eu ficava pensando só na hora em que eles iam aparecer. Toquei com a vontade de ir embora logo para conhecer os caras. Não me liguei muito no show em si. Mas foi demais subir no palco dos caras, ver a bateria do Charlie de perto, os amplificadores deles. Foi uma emoção que eu nunca vou esquecer. Foi um dia mágico e às vezes parece que a ficha ainda não caiu”, conta o Junior, que também é baixista no Start me Up.

Espetáculo Start me Up recria cenários, figurinos e sons de época

A mesma paixão de fã, Junior tenta levar para o musical que ele está dirigindo e que promete contar a carreira dos Stones com uma banda tocando ao vivo, com troca de figurinos, de cenário e de instrumentos conforme o desenvolvimento do espetáculo. A intenção é reproduzir o som dos Stones fielmente, mostrando a evolução da banda ao longo dos seus quase 55 anos de estrada.

“A gente quer fazer um show em que as pessoas ouçam a música e se lembrem da versão original na hora. Mesmo quem não é fã vai escutar e se lembrar da música. Nós pesquisamos bastante os sons das gravações, como eles tocavam. O bom é que era tudo muito cru, muito guitarra e amplificador, não tinha efeito no meio. Era rock and roll mesmo, cru. Nos ensaios nós estamos tentando soar o mais fiel possível a como era na época. Amplificadores, guitarras,  os sons de baixo e de bateria, a microfonação da bateria para não soar moderno demais. A nossa ideia é que o cara chegue no show e ouça como foi feito no disco original”, revela o músico.

A estreia marcada para 12 de fevereiro, em São Paulo, servirá de termômetro para o medir as possibilidades do show. A intenção dos envolvidos é que ele possa viajar por todo Brasil e até para fora do País. Como não há patrocinadores, foi escolhido um teatro com apenas 290 lugares para a estreia, pois custo de espaço maior poderia inviabilizar o show. “Teatro é caro. Você às vezes tem valor mínimo a pagar para poder usar a sala. Se não lotar tem de pagar um valor ‘x’, então tem várias coisas que atrapalham um pouco para fazer o show num lugar maior”, diz Ricardo Junior. “É tudo feito na raça pela gente. Eu bolei cenário, os textos, o repertório. A gente não tem qualquer apoio financeiro, exceto o apoio de divulgação de Stones Planet Brazil“, acrescenta o artista, que já fez espetáculos similares dos Beatles.

Os ingressos para Start me Up já estão à venda. Você pode obter mais informações clicando aqui. 

Patrocínio e shows

O espetáculo é apoiado por Stones Planet Brazil, que ajuda na sua divulgação. Se você tem uma empresa (ou produtora) e quer patrocinar o show ou levá-lo para a sua cidade, entre em contato por andre@stonesplanetbrazil.com, que nós colocamos você em contato com a produção do musical.

Comentários

comentários