Por Fernando Kfouri. Os Rolling Stones incendiaram Arnhem. Se você acompanha a carreira da banda e já viu alguns shows ao vivo dela, você já percebeu que a empolgação do público exerce imensa influência na performance do grupo. Uma plateia animada e vibrante eleva os Stones ao mais alto nível de energia sobre o palco. Já uma audiência disposta a ser meramente entretida, sem estar interessada em colaborar com o show, acaba recebendo uma atuação nem tão fervorosa, embora eles sejam muito profissionais e sempre deixem tudo no palco.

Argentinos europeus

O que tivemos na Holanda neste domingo foi uma loucura. Os holandeses são totalmente malucos. Eles não param de cantar e de dançar um segundo. Eles fazem muito barulho. Os caras parecem argentinos. Dirigia que são “argentinos europeus”, um pouco mais contidos que os “hermanos”, mas ainda assim extremamente vibrantes. Eles são muito bons.

E isso sem dúvida empolgou os Stones. Com certeza foi um dos melhores shows que já vi. Eles incendiaram a arena, que estava completamente lotada, com 35 mil fãs. Foi um show fenomenal.

Fã mesmo em cama hospitalar

Um episódio que talvez demonstre o fanatismo dos holandeses, foi que pela primeira vez na vida, eu vi uma pessoa ir para um show em uma cama hospitalar. A pessoa foi levada até um determinado ponto do estádio, teve a cabeceira erguida e ficou lá vendo o show, vestindo uma camiseta dos Stones. Foi incrível.

Grandes destaques

Satisfaction, Midnight Rambler, Just Your Fool,  Ride ‘Em On Down e Dancing Mr. D estiveram em altíssimo nível. Foram versões sensacionais.

Start me Up ou Brown Sugar, Keith?

O momento pitoresco foi quando Keith devia tocar Start me Up e largou Brown Sugar. Pouco depois, quando chegou mesmo a vez de Brown Sugar, ele deu uma atravessada, mas a banda logo se entendeu com ele. Os Stones quebram tudo. Não deixaram nada em pé.

A próxima parada da No Filter Tour é quinta-feira, dia 19/10, na U Arena, em Paris. Mais de 40 mil fãs estarão presentes.


Comentários

comentários