Todos nós só conhecemos o mundo com os Rolling Stones. Você tem o sol, você tem a lua e você tem os Rolling Stones. São certezas que a gente tem desde que a gente existe. E Charlie Watts sempre esteve lá. Todos os shows dos Stones a gente ficava esperando ver a cabecinha branca de Charlie aparecer no palco. E ela sempre aparecia e o show sempre começava.  A partir de 24 de agosto de 2021, essa imagem só estará nas nossas memórias. Charlie não estará mais entre nós, o que nenhum fã dos Rolling Stones consegue aceitar. Mas Charlie Watts estará eternizado em nossos corações e na história da música pop.

Quando eu li por acaso no Instagram alguém postar que Charlie não estava entre nós, eu saí desesperadamente atrás de um desmentido, que fosse mais uma fake news ridícula. Infelizmente a confirmação veio segundos depois.

Eu li em algum texto a expressão “Charlie Watts 1941-2021″e não quis acreditar. É impossível que Charlie tenha uma data de fim. Na minha cabeça, Charlie sempre esteve lá e sempre estaria. No palco, com os Rolling Stones, onde sempre foi seu lugar.

Só que aí vem outra certeza que todos temos. Todos nós somos mortais. E Charlie também era. Inacreditavelmente, Charlie Watts morreu e não estará mais sentado atrás de sua bateria. Vai viver para sempre em nossas memórias e corações. Sempre será lembrado. Está eternizado na história da humanidade.

Para muitas pessoas Charlie pode ser um baterista. Mas para mim era como um avô, um pai, um amigo. Era alguém da família. Da “família Stones”.

Eu lembro como ontem do rápido encontro com Charlie em Orlando, do show dele com a Band 2 numa salinha de música em Detroit, lembro de cada um dos 25 concertos dos Stones que assisti, de todos os discos e vídeos que ouvi e assisti. Na verdade, eu nunca existi sem Charlie Watts.

Eu gostaria de ter mais palavras, mas eu não tenho. Esse dia de 24 de agosto de 2021 não vou conseguir esquecer. Com a mesma certeza que nunca vou esquecer de Charlie, não tem como esquecer esse dia triste. Quando escrevo isso, são os primeiros momentos da minha vida sem Charlie. Eu vou ter de aprender a viver sem a presença física de Charlie Watts.

Um grande beijo, abraço e profundo pesar aos  familiares de Charlie. Especialmente à Charlotte, neta que era uma das pessoas mais próximas dele e que mais amava o avô. Forte abraço em Mick, Keith, Ronnie, em todo staff dos Stones. Um forte abraço em todos nós, pois Charlie IS our darling.

Comentários

comentários