O período entre 1967 e 1972 pode ser colocado facilmente como o mais criativo dos Rolling Stones, onde grande parte dos seus melhores discos foram lançados. Da mesma forma,  aqueles anos foram um duro teste à resistência da banda, que viajou constantemente do céu ao inferno e voltou. O DVD Marquee Club 1971 registra esta fase com perfeição. Bootleg por décadas, o filme foi lançado oficialmente e junho de 2015.

Antes de entrarmos em detalhes sobre o show gravada pela TV britânica, vamos lembrar a situação daquele momento. A partir de 1967, Brian se afundou de vez e suas relações artísticas e pessoais com os demais Stones entrou em crise de vez. Magoado por ter perdido espaço nos Stones para Keith e Mick e por Anita Pallenberg tê-lo deixado para viver com Keith, Brian entrou em viagem fatal pelas drogas, deixando de ter interesse nos Stones. O resultado disso, todos conhecem. O fundador da banda foi demitido e substituído por Mick Taylor. Pouco depois, foi encontrado morto na piscina de sua casa em Cotchford Farm pouco antes da virada dia 2 para o dia 3 de julho de 1969.  Antes de morrer, assim como Keith e Mick, Brian vivia em tribunais e sendo ameaçado de cadeia.

Em meio a isso, os Stones descobriram que o empresário Allen Klein não havia pago os impostos da banda, como todos presumiam. O grupo vendia milhões de discos, liderava as paradas e estava quebrado. Depois de muita discussão e negociação, os Stones se livraram de Klein como empresário, mas teriam de suportá-lo até a sua morte em 2009. Como acordo de libertação, os Stones tiveram de abrir mão dos direitos de tudo o que compuseram e lançaram até 1969. Canções como Satisfaction e Jumping Jack Flash, por exemplo, passaram a pertencer à ABKCO, empresa de Klein. Todos os discos dos Stones entre 1963 e 1969 ficaram nas mãos do agente.

Mick Jagger organizou os negócios dos Stones ajudado pelo Príncipe Rupert. Os caras criaram a Rolling Stones Records para poderem passar uma ideia de independência, chamaram Marshall Chess, filho de Leonard Chess, da gravadora Chess Records, de Chicago, para presidir o novo selo da banda.

Justamente aí entra o Marquee 1971. Os Stones tinham realizado tour de despedida da Inglaterra, porque iriam viver no exílio na França com a intenção de fugirem do fisco inglês e de poderem organizar as vidas financeira de todos. Mas antes da partida, eles gravaram em 26 de março o programa para a BBC.

Talvez abalado pelo o que aconteceu com Brian, Keith tomou a dianteira como doidão dos Stones. Cara de bêbado, dentes podres pelo uso de heroína e aparência imunda. Era essa a figura do parceiro de Jagger nas composições do grupo. Por outro lado, os Stones estavam mais criativos do que nunca e logo lançariam em 23 de abril o Sticky Fingers, primeiro disco pela Rolling Stones Records, com acordo de distribuição pela Atlantic Records. Brown Sugar seria single número 1 e o álbum alcançaria o topo das vendas. 

No Marquee 1971, os Stones antecipam canções que seriam incluídas no disco: Dead Flowers, You Got the Blues, Bitch e Brown Sugar estão no repertório. Já piradão, Keith ficou puto da cara quando viu que haviam colocado o nome do pub, “Marquee”, no fundo do palco e tentou dar uns sopapos no proprietário do lugar, que ele sempre detestou. Mas com ou sem confusões, os Stones fazem um baita show, com uma interpretação imbatível de Satisfaction, talvez a melhor versão ao vivo de sempre da canção.

O DVD do Marquee Club, lançado pela Eagle Rock/Som Livre,  traz a seguinte lista de temas:

Live With Me
Dead Flowers
I Got The Blues
Let It Rock
Midnight Rambler
(I Can’t Get No) Satisfaction
Bitch
Brown Sugar
BONUS TRACKS:

I Got The Blues – Take 1
I Got The Blues – Take 2
Bitch – Take 1
Bitch – take 2
Brown Sugar (Top Of The Pops, 1971)

Você pode comprar o DVD na loja de Stones Planet Brazil, clicando aqui.

 

Comentários

comentários