Você imagina Mick Jagger em casa cuidando dos netos e jogando gamão com os amigos? É uma cena difícil de projetar. E no que depender do frontman mais famoso do mundo, isso nunca vai ocorrer. Em entrevista à revista Rolling Stone, Jagger afirmou novamente que deixar os palcos não é uma opção.

Segundo o pai do brasileiro Lucas, tocar é o que os Rolling Stones fazem e não há alternativa. “Eu não consigo me imaginar fazendo outra coisa. E também tem a questão entre nós de que queremos saber quem será o primeiro a descer do ônibus. Tem de ser cbutado para sair”, brinca o autor de Gimme Shelter e de centenas de outros clássicos.

E o futuro das tours?

Mas e o futuro? Os Rolling Stones tinham tour pelos Estados Unidos agendada com milhares de ingressos vendidos. O que vai acontecer depois do covid-19? “Talvez toquemos para pequenos grupos de pessoas. Apesar de termos tido a felicidade de vender muitos ingressos, é possível que não possamos atender a todos de uma vez só”, especula Jagger.

Sobre a indústria de shows a partir de agora, o Stone diz não saber o que vai acontecer. “Na Europa, tivemos concertos de pequena escala. Tivemos concertos socialmente distantes. Você pode ver concertos começando em algumas partes do mundo, como Nova Zelândia, Austrália e assim por diante. Mas no que diz respeito aos EUA, não sabemos realmente o que o futuro nos reserva. Tantas pessoas estão sem trabalho, perdendo dinheiro. Será que nunca vai ser o mesmo? Será sempre diferente? Nós não sabemos no momento. ”

Por enquanto, a No Filter Tour segue adiada, sem previsão de retomada. E os Stones seguem fazendo lançamentos, como a reedição do Goats Head Soup e o show de Atlantic City 1989.


Comentários

comentários