Keith Richards concedeu entrevista à GQ Magazine em que fala sobre sua vida em dias pandêmicos. Mais do que isso, ele responde sobre os planos dos Rolling Stones para o futuro, especialmente em relação  às comemorações pelos 60 anos da banda, que será em 2022. A resposta dele foi direta: “Bem, os planos são para que todos ainda estejam vivos”. Abaixo alguns trechos da entrevista.

Você sente falta de estar em tour?
Só sinto falta porque é quase como uma necessidade física. Seu corpo meio que espera isso, uma vez que você vai para a estrada e faz contato com todo mundo. E para este ano, cortar isso é meio estranho, e provavelmente é por isso que estou falando muito.
A banda tem planos para o 60º aniversário, que está chegando em alguns anos?
Bem, os planos são para que todos ainda estejam vivos.
Além disso, na nossa idade, não sei. Não ouvi falar de nenhum plano, mas tenho certeza de que há coisas sendo feitas. Em primeiro lugar, vou passar por este ano e ver como vamos lidar com o ano que vem. Porque acho que no momento há mais problemas do que uma celebração dos Rolling Stones. Embora esteja muito feliz por estarmos todos aqui.
Como tem sido o seu dia a dia este ano? Como você está passando seu tempo em casa?
Bem, eu tiro a máscara. É tudo um pouco estranho este ano. É uma situação única, não é? Para todos nós. Não importa quem você é. E estou apenas fazendo o meu melhor e escrevendo algumas músicas porque eu faço isso de qualquer maneira. Isso acontece sem nem mesmo tentar. Não que tenha alguma coisa boa, mas, você sabe, é o que você faz.
Como você está matando tempo de alguma outra forma?
Eu fiz uma sessão com Steve Jordan [baterista do X-Pensive Winos], duas ou três semanas atrás na cidade. Ainda trabalhando no álbum dos Stones, que estava na metade do caminho antes de a merda ir para o ventilador. Eu estava tentando progredir em algumas coisas, mas não há muito que se possa fazer a não ser esperar pela vacina.
Minha última pergunta é: as pessoas têm se perguntado nas entrevistas quando você vai morrer nos últimos 50 anos. É muito satisfatório ainda estar aqui?
Cada dia é um prazer. Quer dizer, não desejo desafiar as previsões de ninguém e realmente não estou interessado nelas. Mas eu vou bater as botas um dia e quando ocorre todo mundo saberá.


Comentários

comentários