Ver os Rolling Stones ao vivo nunca é demais. Encerrada a nossa tarefa em São Paulo, regressamos para Porto Alegre. À chegada, depois de uns copos com o amigo stoneano Leonel (ex-Rola Stones e hoje vocalista de uma banda cover dos Stones em Nova Prata-RS), decidimos ir atrás de uma excursão que nos levasse ao Rio de Janeiro. Cedo no dia seguinte, já estávamos com o pacote rodoviário comprado (ver recibo acima). Apenas 24 horas de estrada nos separavam de mais um concerto dos Stones.
O show do dia 4 de fevereiro foi o mais importante realizado pela banda no Brasil em 1995. Transmitido pela Rede Globo para milhões de pessoas, foi descrito pelo jornal O Globo como “O Grand Finale do Século XX”.A chuva mais uma vez esteve por perto. O céu estava carregado e tudo indicava um imenso temporal, mas a tempestade preservou o show dos Stones, que ocorreu sem nenhum problema. Nas arquibancadas, 90 mil pessoas assistiam ao show. O futuro ministro da Cultura, Gilberto Gil (que bateu tambores para os Stones em 1976), chorou emocionado nos camarotes do Maracanã pela beleza cênica do espetáculo. O palco de Voodoo Lounge encheu o estádio de brilho e energia. A banda fez uma apresentação competente, sabendo que o show estava na casa de milhões de pessoas.

Notas de O Globo para os Stones no dia 4Os Rolling Stones foram embora. Só nos restou aplaudir e esperá-los novamente, três anos depois, fazendo cair por terra a previsão de O Globo, que dizia que os Stones tinham chance zero de voltar a tocar no Brasil.

Comentários

comentários