Nascido Michael Kevin Taylor em 17 de janeiro de 1949 em Welwyn Garden City, Inglaterra, Mick Taylor se tornou um jovem guitarrista na adolescência. O prodígio começou a chamar atenção ao ser recrutado por John Mayall para a sua Bluesbreakers. Com a demissão de Brian Jones dos Rolling Stones, Mick Taylor entrou para a maior banda do mundo e escreveu seu nome para sempre na história.

São muitas as pessoas que indicam Mick Taylor como um dos melhores guitarristas da história. Outros tantos entendem que o período entre 1969 e 1974, em que ele esteve com os Stones, foi o mais frutífero da banda.

Mick Taylor com os Stones em Lisboa-2014. Foto: Stones Planet Brazil

Contribuições para os Stones

Há várias contribuições destacadas de Taylor para os Stones. O solo em Sympathy for the Devil do Get Ye Ya-Ya´s Out! beira à perfeição, mesmo que tenha sido overdubado.

Outros tantos solos, como os de Can´t You Hear me Knocking e Time Waits For No One são listados entre os mais sensacionais e bonitos de sempre.

O papel de Taylor na banda

Da mesma forma que é imensamente talentoso, Mick Taylor não soube compreender o seu papel nos Rolling Stones, que era o grupo de Mick Jagger e Richards. Quis ter mais espaço, mais créditos e não se conformou com o emprego para o qual foi contratado. Taylor deveria ser guitarrista coadjuvante, a segunda guitarra dos Stones para apoiar à guitarra de Keith Richards. Isso era pouco para ele.

Ao mesmo tempo que necessitava de aplausos, Mick Taylor não teve estrutura para suportar a pressão da fama e do dinheiro. Afundou na heroína e se apavorou. Ele não tinha força suficiente para conviver com os Rolling Stones dos anos 1970. Era época de uma “touring party” sem fim.

Mick Taylor ao lado de Mick Jagger em Lisboa-2014. Foto: Stones Planet Brazil

Quando saiu dos Stones em 1974, Taylor prometeu que formaria banda com Jack Bruce (ex-Cream). Disse que produziria discos, que faria carreira solo. Com o tempo, tudo não passou de projetos.

Ele gravou dois discos obscuros, teve algumas participações em LPs de outros artistas, mas realmente só voltou a ter destaque em 2012. Naquele momento, Taylor foi convidado a participar dos shows de comemoração dos 50 anos da banda.

O retorno entre 2012-2014

Renovado pelo sucesso das suas aparições com os Stones, Mick Taylor esboçou até  dancinhas tocando temas como Midnight Rambler e Can´t You Hear me Knocking.  Mick Taylor viajou com os Stones entre 2012 e 2014. Depois disso, fez algumas aparições com Ronnie Wood e voltou a sumir.

O fato é que Mick Taylor é um dos melhores guitarristas que já existiram. Mas infelizmente ele não teve estrutura emocional para seguir em frente. Taylor ainda cometeu o grande erro de deixar os Stones. O vacilo dele, no entanto, abriu as portas para outro grande guitarrista. Ronnie Wood sempre foi afinado com os Rolling Stones e entrou feito luva na banda.

A discussão sobre Mick Taylor é interminável. Ao lado do já surrado papo “Beatles x Stones”, sempre vai existir. Isso indica a relevância do assunto, que mesmo décadas depois, segue se renovando.

Vida longa a Mick Taylor!


Comentários

comentários