Há décadas os Rolling Stones são os grandes vendedores de ingressos da indústria da música. Ninguém chega perto deles quando o assunto é fazer dinheiro com shows ao vivo. A No Filter Tour faturou US$ 119,957,677, em apenas 14 concertos. No total, foram comercializados 755,345  bilhetes.

As informações foram passadas por  John Meglen, que é CEO da Concert West, empresa responsável pela tour. O empresário forneceu números precisos à Pollstar. Segundo ele, o show de Hamburgo teve 81,193  ingressos vendidos, com arrecadação de US$ 11.95 milhões. Em Munique houve 72.639 fãs, gerando receita de US$ 11.79 milhões.

A média de público da No Filter Tour foi de 62.945 pessoas, tendo faturamento médio de US$ 9.99 milhões. Todos os 14 shows da tour europeia tiveram ocupação total. Desde 2012, os Stones se apresentaram 104 vezes, todos os concertos foram esgotados. Apenas neste período, os Stones faturaram com shows ao vivo perto de 650 milhões de dólares.

Organização perfeita

Meglen elogiou o trabalho da agente dos Stones, Joyce Smyth, que torna o processo todo de organização da tour bastante livre de estresse. De acordo, o CEO da Concert West, todo staff dos Stones funciona perfeitamente, começando com Mick, Keith, Charlie e Ronnie. “Apesar do tamanho e dos números, tudo corre muito bem”, comentou o agente.

Desde a aposentadoria do Prince Rupert Loewenstein (ele morreu em maio de 2014), Joyce Smyth deixou de ser “apenas” a advogada dos Stones e passou a tomar conta de toda a organização da banda. Hoje em dia, ela é a grande chefona dos negócios, estando logo abaixo de Mick Jagger. A banda não assina um único contrato sem ela. Joyce hoje em dia é responsável por conduzir todas as negociações referentes aos Rolling Stones.

Para 2018, existem negociações para uma tour britânica da banda. Os Stones tentam compensar os fãs ingleses, que não puderam vê-los em 2017 durante a No Filter.

Comentários

comentários