Isso não é novidade alguma. Sempre que os Rolling Stones estão na estrada, eles levam multidões aos seus shows. A No Filter, tour europeia dos Stones colocou a banda no Top 1 do ranking de shows da Pollstar Global Concert Pulse.

Com 10.2 milhões de dólares de arrecadação média por apresentação e com preço médio de ingressos de 160 dólares, os Stones deixaram o U2 para trás, que arrecadou 9.15 milhões de dólares por noite, com bilhetes tendo o valor médio de 115 dólares.

Lembrando que os Stones fizeram apenas 14 concertos, contra 51 da banda irlandesa.

“É uma das maiores coisas da sua carreira quando você pode fazer uma tour dos Rolling Stones“, diz  John Meglen,  CEO da Concerts West.  “Ficamos tão entusiasmados, que queremos que tudo dê certo. Tivemos muita sorte”, comentou o empresário do ramo de shows.

Os números da Pulse são um pouco diferentes em relação aos dados gerais da No Filter Tour, porque o concerto de Lucca não é considerado, pois foi um festival.

Gigantes sem comparação

Os dados dos Rolling Stones são tão impressionantes que eles chegam a faturar mais do que o triplo de artistas como Paul McCartney, Metallica e Guns N Roses, que apenas somados conseguem ter a arrecadação média da turma de Mick Jagger e Keith Richards.

Nada que a gente não saiba há décadas

É óbvio que esses números não são algo a se levar em extrema consideração, porque não números, matemática e o que importa é a qualidade da música, que sobra aos Stones. No entanto, é impressionante que com 55 anos de carreira e com integrantes com mais de 70 anos, os Stones superem de longe “novidades” como Coldplay, Lady Gaga, Bruno Mars e todos os demais.

Essas informações servem para dimensionar a importância e o tamanho dos Rolling Stones na indústria da música, mesmo que isso esteja mais do evidente há décadas. Isso não é novidade, a gente sabe, não muda nada, mas não se pode ignorar resultados tão gigantescos.

Comentários

comentários