A No Filter Tour 2017 deveria ter mais 14 concertos. A cada show que passa, os Rolling Stones fazem uma apresentação ainda melhor. O concerto dos Stones na U Arena, neste domingo (22/10), não tem uma explicação racional. Mick, Keith,Charlie, Ronnie e turma fizeram uma gig de outro planeta. Não há palavras para descrever a energia que emanou do palco e a satisfação que o grupo causou nas 40 mil pessoas presentes.

Keith Richards esteve em noite endiabrada

De princípio o show já teve uma novidade e tanto. O concerto não começou com Sympathy for the Devil, como ocorreu em todos os demais da No Filter Tour. Jumping Jack Flash deu a largada do show, com a banda voltando a ser apresentada por Matt Clifford: “Ladies and gentlemen: The Rolling Stones”, e Keith sai tascando lenha na guitarra.

Frontman visceral

Mick Jagger teve uma performance animalesca. O cara se movimentou por todos os cantos do palco e via-se em seu rosto aquele frontman visceral que o consagrou.

Ronnie Wood está cada vez melhor. O cara se superar show a show. Charlie tem não altera nunca o seu padrão. Você sabe o que ele irá fazer e ele faz.

Dancing Mr. D foi a “surpresa” da noite e Angie foi escolhida na votação dos fãs. Elas receberam boas versões, mas Street Figthing Man roubou totalmente a cena. Talvez tenha sido uma das melhores de sempre. Keith estava enlouquecido, conduzindo a música de uma forma violenta.

Outra canção que merece destaque é Honk Tonk Women, em que Keith voltou a fazer um solo certeiro, em alto nível, como a música merece.

Os erros foram muito pequenos, perceptíveis por fãs muito exigentes, então, vamos dizer que não houve erros. A banda tocou de forma sublime e incrivelmente vem crescendo de uma noite para outra.

A organização da U Arena melhorou em relação a estreia, mas ainda foi bastante deficiente. O som também tinha um pouco de eco, que era percebido por quem estava nas arquibancadas, como nos relataram o Fernando Kfouri e a Carol Jung.

Infelizmente na quarta-feira teremos o último show da No Filter Tour e lá estaremos novamente. Já começou a dar saudade. A partir do fim do terceiro show parisiense deste ano, já estaremos contanto os dias para a possível tour britânica de 2018.

Comentários

comentários